ETS

Camargo Corrêa “vende” área de cimento

A Camargo Corrêa, grupo familiar brasileiro que saiu de vários negócios no ano passado, como publicamos no portal, colocou toda a holding cimenteira à venda, informou o colunista Lauro Jardim do Jornal O Globo. Segundo ele, a Camargo Corrêa espera vender a área de cimento por cerca de 20 bilhões de reais, ou quase 6,5 bilhões de dólares.

Até então as notícias que circulavam, tanto no Brasil como no mundo, davam conta que a Camargo Corrêa buscava fazer caixa e injetar cerca de 3 bilhões de reais em seus negócios e para tal, venderia apenas parte, ou toda, a Loma Negra, que é a maior cimenteira da Argentina e que pertence ao grupo.

Ainda segundo Lauro Jardim, o conglomerado recebeu ofertas da mexicana Cemex e de uma outra produtora de cimento da América Latina, não identificada pelo colunista na nota.

A Reuters Internacional tentou contato com um porta-voz da Camargo que recusou-se a confirmar a notícia, dizendo por e-mail, apenas que “o grupo não estaria mais buscando se desfazer de ativos”. Adiantando que as vendas de uma participação majoritária na CPFL foi “o fim de um processo de reposicionamento da carteira de ativos do grupo”.

Desde o fechamento do acordo de leniência dentro da Operação Lava Jato, a Camargo Corrêa já se desfez de dois importantes negócios: O grupo vendeu sua fatia na Alpargatas, dona da marca Havaianas, que foi repassada ao grupo J&F Investimentos, dona da Friboi e, em julho do ano passado, a companhia se desfez de sua participação na CPFL Energia, que ficou nas mãos de uma gigante chinesa, a State Grid Corporation of China.

A InterCement é a segunda produtora de cimento do Brasil, abaixo apenas da Votorantim, é uma das maiores produtoras de cimento de Portugal, Moçambique e Cabo Verde.

As últimas semanas de março serão movimentadas para o setor cimenteiro, com muitas notícias desse gigantesco mercado, que enfrenta uma das piores crises no Brasil, com vendas baixas, excesso de capacidade instalada, margens apertadas, obrigando o setor a operar com grandes dificuldades. As vendas de 2016 recuaram aos números de 2009, registrando queda de 12,7% e a previsão é de uma nova queda em 2017, embora aqui no Cimento.Org apostamos em um pequeno crescimento sob o ano de 2016.

By Cimento.Org

Postado em:
19 mar 2017 às 14:14hs
Icone do Facebook Icone do Twitter Icone do Google Plus Icone do Linkedin


Outras Notícias


Parceiros