CADASTRE-SE

Venda de cimento 2015: Queda pode chegar a 10%

As vendas de cimento ao mercado interno brasileiro recuaram 10,4% em agosto deste ano em relação ao mesmo mês do ano anterior, no acumulado dos oito primeiros meses do ano, de janeiro a agosto, as vendas recuaram 6,8%, para 43,7 milhões de toneladas, ante aos 46,9 milhões de toneladas de cimento comercializadas em 2014 no mesmo período.

Em 12 meses até agosto, as vendas de cimento destinadas  ao mercado interno somaram 67,7 milhões de toneladas, uma redução de 4,2%, ante igual período anterior.

Vendas de Cimento em agosto de 2015

Origem VendaAgo-2014
Ago-2015
Dif % 2015/2014Jan a Ago/14
Jan a Ago/15
Dif % 2015/2014
Em 1000 TonSNIC
Norte300267-11%2.2172.092-5,6%
Nordeste1.3081.234-5,7%9.9739.525-4,5%
Centro-Oeste789688-12,8%5.7245.141-10,2%
Sudeste2.9222.540-13,1%22.26220.350-8,2%
Sul924866-6,3%6.8436.637-3,0%
Total Vendas6.2435.595-10,4%46.91943.745-6,8%

Setor já esperava uma queda no consumo de cimento no segundo semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano anterior, já que houve uma  agravamento na crise econômica e uma desaceleração do setor imobiliário. O mercado e o sindicato (SNIC) já consideram que a queda nas vendas possa chegar aos dois dígitos neste ano de 2015.

CimentOnline - Toda Obra Começa Aqui

As importações do produto totalizaram 46 mil toneladas em agosto, retração de 52% em relação ao mesmo mês de 2014, segundo dados colhidos junto à SECEX/MDIC.

As regiões Sul e Nordeste ainda são as que registram as menores quedas acumuladas, tendo o Centro-Oeste e o Sudeste apresentado as maiores quedas. Mantendo-se o atual desenho, as regiões Nordeste, Norte e Sul dificilmente apresentarão queda superior aos 10%, restando apenas quatro meses para o termino do ano. As regiões Centro-Oeste e o Sudeste, com quedas acumuladas elevadas até agosto/15, registrarão quedas acima de 10% e juntas poderão pressionar a queda global nas vendas já que juntas respondem, por 58% das vendas de cimento no país, respectivamente a região sudeste responsável, neste ano, por quase 46% e o Centro-Oeste por 12%.  

Na contramão das projeções ruins nas vendas e no consumo, novas marcas, novas fábricas de novos grupos começaram a produção de suas plantas em várias regiões do país, principalmente no Nordeste, onde somente nos últimos anos (2013 a 2015) nove unidades iniciaram atividades, aumentando sobremaneira a concorrência na região.

Cap. Instalada em 2015 x Consumo em 2014

REGIÕESCAP INST/15CONS/ 2014Excedente Capac.Nº de PLANTASNº de MARCASNº de GRUPOS
Dados expressos:Milhões de ToneladasPesquisa e formatação:cimento.org
NORTE5,855,28 -10%753
NORDESTE23,816,6 -30%301613
CENTRO-OESTE10,57,0-33%854
SUDESTE41,531,2-25%381711
SUL14,911,8-.21%1265
TOTAL BRASIL96,571,7-26%953122

Na tabela acima, pesquisamos a capacidade instalada do país e regiões e comparamos com o consumo de cimento em 2014, mostrando quanto seria o excedente de produção se o consumo de cimento para 2015 fosse o mesmo do ano anterior. Como há uma expectativa para uma queda nas vendas/consumo que pode chegar a 10%, esse excedente de capacidade instalada será bem superior ao encontrado, já que o consumo em 2015 pode fechar em números próximos a 65 milhões de toneladas e a capacidade instalada tende ainda a uma elevação, já que algumas plantas, em construção, poderão começar a rodar ainda em 2015, como é o caso da novata Zumbi, em Alagoas e a planta da Votorantim em Primavera no Pará.

Postado em:
25 set 2015 às 18:34hs
Icone do Facebook Icone do Twitter Icone do Google Plus Icone do Linkedin


Outras Notícias


Parceiros