CADASTRE-SE

Cimento transparente terá custo atrativo, diz indústria

pavilhao_italiano_expo-shangai_2010Bergamo, Itália – O Grupo Italcementi prevê iniciar nos próximos meses, em mercados que não incluem a América do Sul, a comercialização de um tipo de cimento transparente, obtido através de mistura com resinas especiais, o qual batizou de i-light. A título experimental, a transparência em fachadas é atualmente exercitada no exterior com o uso de fibra ótica. De acordo com o fabricante, o i-light terá preço bem inferior ao exigido pela solução em prática.

“Oportunamente inserida na mistura cimentícia, a resina especial permite obter uma transparência superior à proporcionada pela fibra ótica, mas, sobretudo, gera um custo final muito inferior, consentindo a aplicação em larga escala. Além disso, o cimento transparente oferece um maior efeito de luminosidade, porque as resinas possibilitam desfrutar as angulações de incidência de luz em graus muito superiores aos da fibra ótica”, garante a Italcementi.

A indústria diz que seus pesquisadores – 170 químicos, físicos, geólogos, engenheiros, entre outros profissionais, foram envolvidos na tarefa – “conseguiram formular um pré-misturado capaz de manter as resinas plásticas dentro do material cimentício, opaco por sua natureza, sem criar fissuras ou enfraquecer sua estrutura”.

As resinas especiais utilizadas para a mistura ao cimento são de diferentes cores e reagem à luz natural e à artificial. “O resultado é a criação, nos interiores, de uma luz agradável e suave. As 240 toneladas de cimento transparente, intercaladas no invólucro do pavilhão italiano da Expo Shangai, proporcionaram um espetáculo inusitado. Na escuridão da noite, as luzes internas refletiam para o exterior, enquanto, durante o dia, as variações da luminosidade exterior eram projetadas para os interiores”, comenta a Italcementi.

Os painéis transparentes criados pela indústria italiana são propostos para uso como componentes arquitetônicos em funções diversas, dentre as quais: internal lightining – técnicas de sombreamento e difusão da luz; e isolamento térmico, “uma vez que o componente plástico oferece baixa condutividade e, ao permitir a entrada de luz nos edifícios, diminui os gastos com energia elétrica”, conforme o fabricanti.

Na América do Sul praticamente desconhecido do consumidor final, o Grupo Italcementi, sediado em Bergamo, Itália, é o quinto maior produtor mundial de cimento, com operações em quatro continentes (Europa, Ásia, África e América do Norte). Em 2010, o grupo registrou um volume consolidado de negócios da ordem de 4,8 bilhões de euros.

Postado em:
4 out 2011 às 16:28hs
Icone do Facebook Icone do Twitter Icone do Google Plus Icone do Linkedin


Outras Notícias


Parceiros