www.cimentonline.com.br

CP IV – Cimento Portland pozolânico

Os materiais pozolânicos, ao contrário das escórias granuladas de alto-forno, não reagem com a água da forma como são obtidos. Entretanto, quando finamente divididos, reagem com o hidróxido de cálcio em presença de água e na temperatura ambiente, dando origem a compostos com propriedades aglomerantes. Por essa razão, os materiais pozolânicos são utilizados conjuntamente com o clínquer, pois o hidróxido de cálcio é um produto normalmente resultante da hidratação deste. A adição de escória e materiais pozolânicos modifica a microestrutura do concreto, diminuindo a permeabilidade, a difusibilidade iônica e a porosidade capilar, aumentando a estabilidade e a durabilidade do concreto. Tais fatores repercutem diretamente no comportamento do concreto, melhorando seu desempenho ante a ação de sulfatos e da reação álcali-agregado. Outras propriedades são também alteradas, incluindo a diminuição do calor de hidratação, o aumento da resistência à compressão em idades avançadas, a melhor trabalhabilidade e outros. Dado o fato de as escórias granuladas de alto-forno e os materiais pozolânicos terem menor velocidade de hidratação em relação ao clínquer, os cimentos com adição desses materiais podem apresentar, em igualdade de condições, menor desenvolvimento inicial de resistência. Entretanto, na prática, verifica-se que as resistências efetivamente alcançadas em todas as idades superam os limites mínimos estabelecidos pelas normas técnicas da ABNT e vem crescendo a cada ano, vez que os fabricantes, com o know how adquirido ao longo dos anos, já produzem cimentos CPIII e CPIV, com resistências inicias nos mesmos níveis dos cimentos compostos.

 

CP IV-32 – Cimento Portland pozolânico

O cimento Portland pozolânico tem baixo calor de hidratação, o que o torna bastante recomendável na concretagem de grandes volumes e sob temperaturas elevadas. Além disso, o alto teor de pozolana, entre 15 e 50%, proporciona estabilidade no uso com agregados reativos e em ambientes de ataque ácido, em especial de ataque por sulfatos. É altamente eficiente em argamassas de assentamento e revestimento, em concreto magro, concreto armado, concreto para pavimentos e solo-cimento.

CP IV-32

Especificações ABNT

ENSAIOS FÍSICOS
Blaine (cm²/g)

NBR NM 76

Tempo de início de pega (h:min)

>1

NBR NM 65

Tempo de fim de pega (h:min)

<12

NBR NM 65

Finura na peneira # 200 (%)

<8,0

NBR 11579

Finura na peneira # 325 (%)

NBR 9202

Expansibilidade a quente (mm)

<5,0

NBR 11582

Consistência normal (%)

NBR NM 43

Resistência à compressão 1 dia (MPa)

NBR 7215

Resistência à compressão 3 dias (MPa)

>10,0

NBR 7215

Resistência à compressão 7 dias (MPa)

>20,0

NBR 7215

Resistência à compressão 28 dias (MPa)

>32,0

NBR 7215

ENSAIOS QUÍMICOS
Perda ao fogo (%)

<4,5

NBR 5743

Resíduo insolúvel (%)

NBR 5744

Trióxido de enxofre – SO3 (%)

<4,0

NBR 5745

Óxido de cálcio livre – CaO Livre (%)

NBR 7227

Óxido de magnésio – MgO (%)

<6,5

NBR 9203

Óxido de alumínio – Al2O3 (%)

NBR 9203

Óxido de silício – SiO2 (%)

NBR 9203

Óxido de ferro – Fe2O3 (%)

NBR 9203

Óxido de cálcio – CaO (%)

NBR 9203

Equivalente alcalino (%)

 

Qualquer empresa, organização ou pessoas que, de alguma forma, não concordem com os dados, números e/ou imagens publicadas em nossa página, poderão sugerir as alterações, ou registrar sua opinião entrando em contato com Cimento.Org , através de nosso e-mail: faleconosco@cimento.orgnas redes sociais ou através de nosso formulário de contato.

Postado em:
22 set 2010 às 15:29hs
Icone do Facebook Icone do Twitter Icone do Google Plus Icone do Linkedin


Outras Notícias


Parceiros