CADASTRE-SE

Troca de comando: Supremo Cimentos agora é portuguesa

A SUPREMO CIMENTOS que desde 2011 já havia vendido 50% das ações ao grupo português Semapa/Secil, celebraram um novo contrato para à aquisição dos 50% restantes da empresa. O negócio foi estimado em R$290 milhões de reais, através da NSOSPE Empreendimentos e Participações, sociedade brasileira controlada pela Semapa que, contrariando o momento delicado que vive o segmento no país, anunciou, na última semana, a compra da totalidade da cimenteira ex Luso-brasileira, saindo do comando o brasileiro Alessandro Eichstaedt, que passou o comando do negócio ao executivo português Carlos Abreu, atual diretor da Semapa/Secil.

A Supremo, com sede em Pomarode, no Estado de Santa Catarina, concluiu, recentemente, a construção de uma nova fábrica integrada de clínquer e cimento, em Adrianópolis, no Estado do Paraná e com o início das atividades desta nova planta, que começou operar no mês passado, a capacidade instalada de cimento da nova Supremo deve chegar aos 2,1 milhões de toneladas ano.  Ao que parece o “novo” grupo, agora 100% português, centrará esforços nos mercados do Paraná e no estado de São Paulo, mantendo a unidade de Pomerode dedicada aos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Para tentar escoar a maior produção, a empresa antes do fechamento da venda, reestruturou sua área comercial e investiu em logística, com a construção de dois novos centros de distribuição, um em Colombo, na grande Curitiba e outro em Tatuí, em São Paulo.

Postado em:
11 maio 2015 às 19:30hs
Icone do Facebook Icone do Twitter Icone do Google Plus Icone do Linkedin


Outras Notícias


Parceiros