Brasil: Greve e crise prejudicam vendas de cimento

Contrariando as expectativas positivas dos primeiros meses do ano, o mercado cimenteiro nacional não reagiu no semestre e emplacou uma nova queda nas vendas de cimento na primeira metade do ano. As vendas do produto no mercado interno brasileiro totalizaram 25,4 milhões de toneladas, registrando uma nova queda de 1,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Venda de Cimento primeiro semestre de 2018 (1000 ton)

RegiõesJunho/17Junho/18Dif% MesesAcum Semestre/17Acum. Semestre/18Dif % Semestres
Brasil4.394 4.972 13,2% 25.771 25.392 -1,5%
Norte236 212 -10,2% 1.2501.128-9,8%
Nordeste891 937 5,2% 5.516 5.128 -7,0%
Centro-Oeste489 584 19,4% 2.656 2.641 -0,6%
Sudeste2.081 2.399 15,3% 12.138 12.226 0,7%
Sul697 840 20,5% 4.211 4.2691,4%

A greve dos caminhoneiros que paralisou o país no último decêndio do mês de maio, impactou fortemente os indicadores econômicos do país e não poupou a indústria cimenteira que, além dos efeitos danosos ao mercado no próprio mês de maio, quando as vendas despencaram 20,3%, transferiu seus efeitos para junho e influenciou os resultados de todo o semestre, desmantelando as projeções  para o período.

Na greve deixaram de carregar e transitar pelo país cerca de 60.000 caminhões carregados com cimento.

O setor vivia uma expectativa de fechar 2018 com um crescimento de até 2% e os resultados desastrosos do semestre, aliados ao fraco desempenho da atividade econômica do país nos últimos meses, forçaram uma revisão nas projeções para 2018, que já apontam para uma nova queda, mesmo que pequena, porém que levará o setor ao quarto ano consecutivo de quedas nas vendas e no consumo de cimento.

Em junho, último mês do semestre, as vendas de cimento registraram resultados positivos em relação ao mesmo mês de 2017, com venda de 5 milhões de toneladas de cimento, o mês fechou crescimento de 13,2% em relação a junho de 2017.  Da mesma forma, as vendas de junho cresceram quase 40% frente aos fraquíssimos números vendidos no mês anterior (mai/18), mês em que se concentrou a greve que paralisou e penalizou o país. Para se ter uma ideia dos estragos, no mês de maio as vendas de 3,6 milhões de toneladas de cimento representaram uma queda de 20,3% em relação ao mesmo mês de 2017, acumulando uma queda de 3,8% para o bimestre (maio/junho).

Como tradicionalmente as vendas de cimento em todos os segundos semestres são superiores aos primeiros, o setor ainda “sonha” com uma melhora para tentar quebrar a sequência de quedas em vendas e, quem sabe, começar o próximo ano com uma retomada no crescimento.

Postado em:
19 jul 2018 às 23:21hs
Icone do Facebook Icone do Twitter Icone do Google Plus Icone do Linkedin


Outras Notícias


Parceiros